Rádio Visita Guiada

Rádio Visita Guiada: ouvir pode ser tão interessante quanto ver, dança

Primeiro projeto da Plataforma 78: rádio podcasts com programas semanais de dança. Finalmente, sai do forno, especialmente para Elisabeth Finger, Eduardo Rosa, Natalia Mallo e Talma Salem. Parceiros artísticos interventores do que é um espaço cênico para ouvir dança.

Longos junho e julho, que fizeram Nirvana encontrar Beth em skypes, pois em terras berlinentes (obrigada Gustavo Bittencourt); depois encontrar, no “Seminário Gestão, Curadoria e Criação em Dança, Lá em Casa”, do Acervo Mariposa, Duto e Talma para novas possibilidades de conteúdo para a Rádio 7e8. E também Natalia Mallo que entra neste primeiro momento de colaborações para criar junto como se ouvir, dança. Beth já está nessa onda de rádio e é nossa forte parceira para conteúdo, desenho e sensação do que pode ser uma rádio podcast para tal área do saber artístico.

A Rádio Visita Guiada propõe ampliar o sentido de ouvir, dança. Porque ouvir, (vírgula) dança? Porque a escuta não é nosso sentido mais privilegiado e, nos parece, que ouvir mais sobre dança pode nos fazer chegar mais perto. Vírgula, dança pois não tratamos aqui a dança como ilha de produção de conhecimento, mas como modo de estar-no-mundo. A dança como linguagem pode se expandir para novas fronteiras de relação entre obra e público, dançarino e obra, você e essa tela.
Podcast: um desenho e linguagem próprios com a qual cada um propõe uma ação artística de escuta e relação com a dança. Como o artista da dança vê-fala-faz escutar o que trabalha sobre: uma exposição, um outro espetáculo, uma obra própria, uma pesquisa de som que parte do corpo.

Programa piloto

Visita guiada”: uma coleção de notas tomadas em áudio. São podcasts gravados por artistas da dança em visita a contextos específicos. É uma viagem sonora por um lugar que você não vê ou vê com outros olhos do outro. É um convite para um passeio dentro do que um artista nota e anota numa exposição, num espetáculo, num filme, numa conferência. Com caráter performativo, a proposição é, ao vivenciar, deixar-se guiar pelas sensações e pensamento do que está sendo dançado, visto, relacionado.

Nirvana Marinho no Danser sa Vie, Centro Georges Pompidou (março, 2012)

Elisabeth Finger na Bienal de Arte Contemporânea de Berlin (julho, 2012)

e mais

Colaborações de Fabrícia Martins